Alcácer do Sal acolheu cerimónia de atribuição do 24º Prémio da Defesa Nacional e Ambiente

O projeto “EstratagEMAS”, da Base Aérea nº5 da Força Aérea (sita em Monte Real), foi distinguido com o 24º Prémio da Defesa Nacional e Ambiente, galardão que foi entregue na cerimónia que decorreu esta manhã (16 de março) no Auditório Municipal de Alcácer do Sal.

Presentes na iniciativa, que simboliza o compromisso da Defesa Nacional com a preservação do Ambiente, incentivando as boas práticas ambientais e as preocupações com a preservação dos recursos naturais, estiveram: o presidente da Câmara Municipal de Alcácer, Vítor Proença; o Ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes; o Ministro do Ambiente, Matos Fernandes; a presidente da Assembleia Municipal de Alcácer, o Executivo da Câmara Municipal e o presidente da União das Freguesias; elementos da Estrutura Coordenadora de Assuntos Ambientais da Defesa Nacional; membros da Agência Portuguesa do Ambiente e membros da Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente, entre outros convidados.

O arranque da cerimónia pautou-se pelo discurso de boas-vindas pelo presidente da Câmara Municipal, Vítor Proença que afirmou “ser uma feliz ideia a escolha de Alcácer do Sal para a entrega deste prémio, pois este é um município que aposta no Desenvolvimento Sustentável”, destacando ainda que “atribuir um prémio que galardoa uma unidade, um estabelecimento ou um órgão das Forças Armadas que tenha dado um contributo relevante, através de projetos e iniciativas úteis para um planeta mais saudável, é de incentivar”. O autarca salientou que “muitos dos avanços tecnológicos que as sociedades conhecem nasceram dos militares e das Forças Armadas” e citou, como exemplo, “no território do Vale do Sado, os sistemas mecânicos de preparação das terras”.

Ao visionamento dos filmes das candidaturas vencedoras do Prémio e da Menção Honrosa (atribuída ao Aeródromo de Manobra nº1 da Força Aérea, sito em Macedo, pelo projeto “O Ambiente no AM1”) seguiu-se a apresentação da intervenção no Pego do Altar, onde o Exército tem efetuado trabalhos de limpeza do leito da barragem a fim de aumentar a sua capacidade de armazenamento de água, no âmbito de um Protocolo estabelecido com a Agência Portuguesa do Ambiente.

O Ministro do Ambiente, Matos Fernandes interveio então, destacando ser “estimulante haver concursos como o Prémio da Defesa Nacional e Ambiente, que incentiva a que cada um dê o seu melhor”. Pegando no tema da água, salientou o papel determinante do Exército na operação do Pego do Altar, o qual agradeceu, e frisou que “o uso eficiente da água é algo a ter sempre em consideração”, pois “a água não se inventa e a água que temos hoje é a que teremos amanhã”. “Nós somos a geração futura de que Brundtland falava nos anos 80, quando introduziu o conceito de desenvolvimento sustentável”, afirmou.

Azeredo Lopes, Ministro da Defesa Nacional partilhou desta ideia e acrescentou que, hoje, “o conceito de economia verde está fora de moda por ser redundante – não há economia sem ser verde. A Defesa verde, porém, é bem atual”. “As alterações climáticas vão obrigar-nos a mudar e o conceito de Defesa vai ter de evoluir muito depressa e adaptar-se”, disse.

À cerimónia seguiu-se uma visita aos trabalhos na barragem do Pego do Altar na zona de Santa Susana, que se iniciaram na segunda quinzena de fevereiro e se encontram parados desde o início da vaga de chuvas que se tem verificado. No local, o Ministro do Ambiente fez saber que não se prevê os trabalhos ser retomados, dado que a quota de água da barragem se encontra perto dos 50 por cento e, por isso, deixa de ser necessária a continuidade da operação do Exército.

Fonte: CMAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *