Alentejo: AMAlentejo anuncia congresso para discutir regionalização

amalentejo_conf_imprensa

O movimento AMAlentejo anunciou a organização de um congresso, em abril do próximo ano, em Troia, no concelho de Grândola, para voltar a “colocar na agenda” o tema da regionalização.

O congresso foi apresentado sexta-feira durante uma conferência de imprensa, em Grândola, que juntou elementos da comissão promotora do movimento, que pretende reunir todas as forças vivas de norte a sul do país na defesa da regionalização, referiu Vítor Proença, presidente da Câmara de Alcácer do Sal e da CIMAL.

No encontro com os jornalistas, José Soeiro adiantou que o congresso “é um momento” deste movimento que procurará “sensibilizar a opinião pública até que a constituição seja cumprida”.

Já António Ceia da Silva, também presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo espera que este congresso sirva de “balão de ensaio” para levar a discussão ao resto do país.
O congresso, que tem como tema “Mais poder local, mais democracia, melhor Alentejo”, realiza­-se no dia 2 de abril, num centro de conferências de Tróia, no concelho de Grândola, distrito de Setúbal.

Segundo o programa preliminar da iniciativa, estão previstos três painéis sobre as autarquias locais, regiões administrativas e regionalização, além de uma homenagem ao poder local democrático.

Depois do congresso e no caso de as conclusões coincidirem com a posição dos elementos da comissão promotora do movimento, Ceia da Silva adiantou que serão iniciados “contactos com os partidos políticos, Assembleia da República, Governo e Presidência da República”.

Apresentado em maio deste ano, o AMAlentejo assume-se como “um movimento plural”, aberto à participação de todos, alentejanos ou não, que tenham como “único propósito a defesa” da região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*