Alentejo: Festival Terras Sem Sombra é apresentado hoje em Sevilha

O Consulado Geral de Portugal em Sevilha (Espanha), recebe hoje a conferência de apresentação da 13.ª edição do Festival Terras Sem Sombra.

O evento em Espanha segue-se à apresentação do programa que ocorreu em Serpa, estando já confirmada nova passagem do Festival de Música Sacra do Baixo Alentejo por Santiago do Cacém.

Álvaro Beijinha, Presidente da CMSC, marca presença na ocasião, que vai englobar atividades até dia 4 de fevereiro, numa autêntica “Embaixada Cultural” do Alentejo, que terá como ponto alto a fusão entre as sonoridades do cante alentejano e do flamenco.

Espanha é o país convidado da Festival em 2017, que tem contado com lotação esgotada nas anteriores passagens por Santiago do Cacém, na Igreja Matriz, que este ano vai receber o Brentano String Quartet no dia 25 de março, estando agendada para o dia seguinte a já tradicional atividade no âmbito da biodiversidade. O Terras Sem Sombra 2017 começa já nos dias 11 e 12 de fevereiro, em Almodôvar, e prolonga-se até aos dias 17 e 18 de junho, com o encerramento a decorrer em Beja.

Em Nota de Imprensa, a organização sublinha que “o Terras sem Sombra é, assumidamente, o festival do território do Baixo Alentejo, e tem vindo a afirmar-se como um rosto e uma porta aberta para o conhecimento desta região.

Música, património e biodiversidade dão o mote para divulgar a cultura, a paisagem, a gastronomia, a economia e o empreendedorismo locais. Em 2017, a programação artística valoriza a espiritualidade na arte, propondo uma viagem pela música dos séculos XVI a XXI, guiada por grandes intérpretes espanhóis e portugueses, mas também norte-americanos, húngaros e franceses. Como boa parte do público do TSS vem de Espanha, entende-se bem o desejo de lhe dar a conhecer, em primeira mão, tudo o que tem para mostrar este ano.

Uma característica que este projeto conseguiu ao longo dos anos prende-se com a articulação das forças vivas da região para levar a cabo tanto um festival de referência internacional como esta “embaixada”, a qual reúne, mais uma vez, a uma só voz, os municípios de Almodôvar, Sines, Santiago do Cacém, Ferreira do Alentejo, Odemira, Serpa, Castro Verde e Beja.

Juntam-se-lhes a Direção Regional de Cultura, a Direção Regional da Conservação da Natureza e Florestas e a Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo, o que mostra o caráter transversal de uma iniciativa que parte da sociedade civil – é organizada pela associação Pedra Angular e pelo Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja. Algo de certo modo único no nosso país”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *