Alentejo: Região sem médicos reumatologistas há quatro anos

O Alentejo está sem médicos reumatologistas no Serviço Nacional de Saúde (SNS) há mais de quatro anos, sendo apenas um exemplo da falta destes especialistas em grandes hospitais.

O presidente da Sociedade Portuguesa de Reumatologia, José Canas da Silva, considera que a situação do Alentejo é lamentável, mas lembra que “tão ou mais relevante” é o facto de “grandes hospitais em grandes áreas metropolitanas não disporem de serviços de reumatologia”.

Centro Hospitalar de Lisboa Central, Amadora-Sintra, Cascais, Nossa Senhora da Oliveira (Guimarães) e Santo António (Porto) são as cinco unidades que não têm departamentos de reumatologia e “servem áreas com muitíssima população”.

O especialista adianta ainda que a rede de referenciação que foi criada previa a abertura de vagas e de serviços de reumatologia nesses hospitais.

Também o caso do Alentejo, onde não há reumatologistas no SNS desde 2012, contraria a rede de referenciação do Ministério da Saúde, que indica que os serviços de reumatologia devem estar no máximo a 100 quilómetros da população.

O presidente da Sociedade Portuguesa de Reumatologia confirmou à agência Lusa que não há um único reumatologista nos serviços públicos do Alentejo desde há quatro anos.

A última médica reumatologista a trabalhar num hospital do SNS alentejano saiu em 2012 do Hospital de Évora.

Para o presidente da Sociedade de Reumatologia, o que é verdadeiramente “lastimável” é que haja doentes que são privados de um tratamento adequado de acordo com o estado da arte, quando o progresso médico na área nos últimos anos “tem sido imenso”.

Segundo um estudo divulgado no final do ano passado, havias em fins de 2015 nos hospitais públicos 83 reumatologistas e 53 internos.

As doenças reumáticas afetam mais de metade da população portuguesa e são das primeiras causas de uma consulta médica e a principal razão de invalidez.

Fonte: Lusa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*