Álvaro Beijinha preocupado com repercussões da seca no interior do concelho

O Presidente da Câmara de Santiago do Cacém diz-se preocupado com a situação de seca que está a afetar produtores e agricultores na zona de Campilhas e Alto Sado e garantiu estar a acompanhar a situação de perto.

Recorde-se que, na última sexta-feira, a Associação de Regantes e Beneficiários de Campilhas e Alto Sado alertou para a situação de calamidade com a falta de chuva a afetar cerca de 4 mil hectares de terrenos que, nesta campanha, não têm origem de água.

Álvaro Beijinha espera do Governo “medidas concretas de apoio aos agricultores” para mitigar os prejuízos. “Estamos a acompanhar o processo e estamos preocupados porque a agricultura, em particular no interior do concelho, tem uma importância muito significativa, veja-se o exemplo da Cooperativa de Produtores de Tomate de Alvalade que envolve dezenas de produtores e estamos a falar de uma situação que pode ter repercussões do ponto de vista social e de empregabilidade”, adiantou.

O autarca reconhece que a manter-se este cenário está em causa da produção das culturas de regadio. “Está claramente em causa a produção dessas culturas e penso que hoje podemos dizer que infelizmente é praticamente inevitável fazer o número de hectares do ano passado”, acrescentou.

Recorde-se que, na última semana, o presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal quer um plano de emergência nacional devido à atual situação de seca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *