Câmara de Santiago do Cacém rejeita criticas do Bloco de Esquerda sobre canil intermunicipal

O presidente da Câmara de Santiago do Cacém rejeitou, esta quarta-feira, as criticas da deputada do Bloco de Esquerda (BE) que acusou a autarquia de falta de políticas públicas para o bem estar animal.

Numa visita recente às instalações do canil municipal e da Associação São Francisco de Assis, em Santiago do Cacém, Maria Manuel Rola defendeu respostas por parte do poder local à lei do não abate de animais, em vigor desde 2016, e criticou a opção dos cinco municípios construírem um canil intermunicipal.

Em declarações à Miróbriga, Álvaro Beijinha lembrou que o canil municipal “não pratica o abate de animais” e defendeu a construção de um canil intermunicipal tendo em conta a degradação das instalações do atual canil de Santiago do Cacém.

“É uma infraestrutura que está obsoleta, que precisa de algum investimento e o que está previsto no âmbito da CIMAL [Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral] é a possibilidade da construção de um canil intermunicipal, previsto na lei, e optou-se por Santiago do Cacém, aproveitando as infraestruturas existentes”, afirmou.

O autarca diz “não compreender” a posição do Bloco de Esquerda, quando a autarquia “está a trabalhar no sentido de dar mais condições aos animais” e “vai ao encontro de aproveitamento de recursos”.

Quanto à falta de apoios à Associação São Francisco de Assis, também levantada pela deputada que esteve reunida com os responsáveis daquela entidade, Álvaro Beijinha discorda.

“A Câmara tem lá uma pessoa a tempo inteiro, excepto ao domingo, que ajuda a tratar os animais da associação, damos apoio ao nível do veterinário, fazemos campanhas de sensibilização em conjunto e por isso não consigo entender essas criticas”.

“O Bloco de Esquerda tem um membro na Assembleia Municipal há mais de 12 anos e não me recordo de ter levantado qualquer questão em relação ao canil municipal”, acrescentou. 

O autarca esclarece ainda que a decisão de construir um canil intermunicipal para servir os cinco concelhos do Litoral Alentejano vai evitar a duplicação de investimento. “É aproveitar aquelas infraestruturas e criar umas instalações novas com condições melhores para os animais, inclusive o gatil que, neste momento, não existe e com uma dimensão que possa servir os cinco municípios”.

“A CIMAL já está a desenvolver o projeto e tudo indica que o canil intermunicipal vai avançar”, concluiu.

Câmara de Sines anuncia construção de CROAC

Entretanto, a Câmara de Sines anunciou ter contemplado em plano e orçamento, para o ano de 2018, a construção de um Centro de Recolha Oficial para Animais de Companhia (CROAC) e, em consequência disso, o desenvolvimento dos respetivos projetos.

O Despacho nº 3321/2018, de 4 de abril, veio aprovar o programa de apresentação de candidaturas à concessão de incentivos financeiros para a construção e modernização dos centros de recolha oficial de animais de companhia (CRO), tendo o Município de Sines submetido uma candidatura com vista ao financiamento da construção do Centro de Recolha Oficial para Animais de Companhia de âmbito municipal”.

A autarquia siniense recorda ainda que o projeto de construção de um Centro de Recolha Oficial para Animais de Companhia de carácter intermunicipal “não inviabiliza nem é incompatível” com a decisão do município em avançar com uma candidatura própria.

One thought on “Câmara de Santiago do Cacém rejeita criticas do Bloco de Esquerda sobre canil intermunicipal

  • 21 Outubro, 2018 at 19:01
    Permalink

    O Bloco de Esquerda convidou-me para estar presente com a deputada Maria Manuel Rola na visita ao canil de Santiago do Cacém, que não conhecia. O que me espantou foi que fui eu a esclarecer o vereador do executivo, presente, de que o CROA também seria para cavalos. Pensava eu que os presidentes de Câmara discutiam estes assuntos com os vereadores.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *