Arquivo da categoria: Cultura

Grândola: Tróia recebe CEAACP-TROIA Summer School

 

 

Ruínas Romanas de Tróia
Ruínas Romanas de Tróia

As Ruínas Romanas de Tróia vão receber, de 2 a 28 de junho, estudantes de arqueologia internacionais e portugueses na CEAACP-TROIA Summer School, um programa de formação cujo trabalho de campo irá permitir pôr a descoberto mais uma fracção deste que é o maior complexo de produção de salgas de peixe conhecido no Mundo Romano.

Este é um projecto do Centro de Estudos de Arqueologia, Artes e Ciências do Património (CEAACP) da Universidade de Coimbra e do TROIA RESORT, numa parceria com a Universidade do Arizona e contará com a participação de 9 estudantes dos Estados Unidos da América, da Grã-Bretanha e de Portugal na escavação de uma grande oficina de salga parcialmente coberta de areia, com tanques de 2,15 metros de profundidade.

Os visitantes das Ruínas Romanas de Tróia terão a oportunidade de assistir aos trabalhos de escavação durante a manhã – entre as 10h00 e as 13h00 – e à tarde, a equipa fará o inventário e lavagem dos achados da escavação.

No dia 16 de Junho, data em que se assinalam os 104 anos da classificação do sítio arqueológico como Monumento Nacional, prevê-se a realização de um Open Day, em que os mais curiosos poderão participar nas escavações.

Espera-se que os trabalhos permitam delinear a planta e conhecer a época de construção daquela que parece ser uma das maiores e mais antigas oficinas de salga de Tróia, e encontrar vestígios da última produção de salga de peixe, além de ânforas, os recipientes que transportavam os produtos. Mas não seria a primeira vez que se encontrariam outros objectos do quotidiano como loiça de cozinha e de mesa, alfinetes de cabelo e ainda moedas.

O programa da TROIA SUMMER SCHOOL possibilitará ainda aos vários estudantes participar em palestras, workshops e visitas de estudo a museus e outros sítios arqueológicos de Coimbra, Lisboa, Setúbal, Alcácer do Sal, Santiago do Cacém, Sines e Beja, com que se pretende enriquecer o seu conhecimento sobre o património histórico e arqueológico da região do Alentejo e de outros pontos do país.

 

Santiago do Cacém: Exposição “25 de Abril, 40 anos” patente até 28 de junho

A inauguração da exposição “25 de Abril, 40 anos” decorreu no dia 24 de maio, no Museu Municipal de Santiago do Cacém .

O Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, esteve presente na ocasião e saudou alunos e professores pelo trabalho desenvolvido, dedicando também algumas palavras à importância do 25 de Abril.

A exposição junta trabalhos dos alunos de Artes da Escola Secundária Padre António Macedo, de Vila Nova de Santo André e vai estar patente até dia 28 de junho.

Inauguração da exposição "25 de Abril, 40 anos"
Inauguração da exposição “25 de Abril, 40 anos”
Inauguração da exposição "25 de Abril, 40 anos"
Inauguração da exposição “25 de Abril, 40 anos”

Santiago do Cacém: Alvalade celebra o 180º aniversário da passagem e estadia de D.Miguel I

 

180-anos-da-passagem-do-Rei
Programa de Comemoração dos 180 anos da passagem e estadia de D.Miguel por Alvalade

O 180º Aniversário da passagem e estadia do Rei D. Miguel I em Alvalade Sado vai ser lembrado e comemorado em Alvalade no próximo sábado, dia 31 de Maio.

O Rei D. Miguel I passou em Alvalade após o fim da guerra civil de 1832/34, em que foi decidido na Convenção de Évoramonte que o Rei devia deixar o seu país e preparar-se para o exílio. O Rei partiu de Évora a 30 de maio de 1834 iniciando uma viagem que em território nacional iria terminar em Sines dois dias depois. Pelo meio do percurso, no dia 31 de Maio, D. Miguel I e o seu séquito entram na vila de Alvalade onde decidem pernoitar para depois continuarem a viagem.

D.Miguel e a sua comitiva escolheram Alvalade para passa a noite devido à câmara municipal de Alvalade, as principais instituições e as famílias mais abastadas serem assumidamente pela causa absolutista, e D. Miguel tinha conhecimento disso. D.Miguel acabou por ficar hospedado na residência particular de Luis da Lança Parreira e de D. Teresa da Lança Parreira, uma abastada familia alvaladense simpatizante da causa miguelista. A casa, situada na antiga Rua da Estalagem, já não existe e Alvalade ficou na História de Portugal como a povoação onde o Rei D. Miguel I passou a sua última noite em solo português.

De modo a comemorar a data da sua última noite passada em Portugal, a Casa do Povo de Alvalade organizou um programa de comomeração que inicia às 15h15 com a Receção aos convidados na Praça D.Manuel I. Às 16h00 há duas comunicações intituladas “D.Miguel em Alvalade – um nexo familiar” e “A figura de D.Miguel – uma visão histórica”.

As cerimónias vão contar com a presença de Sua Alteza Real Senhora Dona Isabel de Bragança, vários descendentes do Rei D. Miguel I e da família Lança Parreira entre muitos outros convidados e personalidades ilustres.

 

 

Grândola: Concerto celebra 50 anos do poema de José Afonso

 

 

bannerFaceZeca2014

Grândola celebra 50 anos do poema de José Afonso sobre a “Vila Morena” com um concerto no próximo sábado, dia 31, às 21h30 no Memorial ao 25 de Abril. O concerto reúne a Orquestra da Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense (SMFOG), Coro dos Alunos da EB D. Jorge de Lencastre, Francisco Fanhais, Rui Pato, Luis Pastor, Lourdes Guerra, Ensemble Voct e Hezbo MC.

Os 50 anos do poema “Grândola, Vila Morena”, escrito por José Afonso, têm vindo a ser celebrados durante este mês em Grândola, com um programa de atividades culturais, numa iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Grândola, da Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense (SMFOG) e da Associação José Afonso.

O Concerto ao ar livre é gratuito.

 

Santiago do Cacém: 15ª Mostra Internacional de Teatro arranca em junho

mostra internacional de santo andreA 15ª edição da Mostra Internacional de Teatro de Santo André regressa no próximo mês de junho para mais uma maratona dedicada à arte cénica.

Com mais de cinquenta espetáculos, a edição comemorativa dos quinze anos, que se realiza entre 2 e 29 de junho, vai estender a sua programação aos concelhos de Sines, Grândola, Odemira, Faro e Lisboa, adiantou o encenador Mário Primo.

Pela mostra de teatro vão passar 14 companhias profissionais, quatro delas internacionais, e o público terá a oportunidade de assistir a 16 espetáculos diferentes e duas estreias a cargo do Teatro do Mar, de Sines, e Teatro ao Largo, Odemira.

Os Kulunka Teatro, companhia de referência da Mostra Internacional de Teatro, oriundos do País Basco apresentam um espetáculo que aborda as questões do envelhecimento, doença e perda de identidade.

A companhia de Teatro ‘Chapitô’, a Este – Estação Teatral, a colombiana Casa Del Silencio, o Teatro Picaro, de Itália, a Palminha Dentada, Carlos Martinez, mimo tradicional oriundo da vizinha Espanha e a companhia Tenda com espetáculos para o público infantil, completam o cartaz.

Além das dificuldades financeiras para colocar de pé a Mostra Internacional, Mário Primo, lamenta a falta de espaços na região para receber este tipo de espetáculos.

Com um orçamento de 56 mil euros, a mostra ficou mais uma vez fora dos apoios da DGArtes e conta com os apoios das empresas locais.

Para além dos espetáculos, a mostra inclui iniciativas paralelas, como performances, workshops, exposições e animações musicais.