Comissão Central de Trabalhadores alerta para situação “preocupante” nas refinarias

A Comissão Central de Trabalhadores (CCT) da Petrogal manifestou-se preocupada com o estado em que se encontram as refinarias de Sines e do Porto.

Em comunicado, a organização “manifesta a sua preocupação pelo estado em que se encontra o aparelho refinador nacional”, devido à greve na “há mais de trinta dias consecutivos” e a Refinaria do Porto “com paragem total devido a um incidente”.

Para a CCT, a situação “resulta da política implementada” pelo grupo Amorim, que controla 33,34% da Galp.

“As refinarias, além do que já foi referido, têm outras especificidades derivadas da natureza do trabalho que lá se desenvolve e também das culturas próprias de cada instalação, olimpicamente ignoradas pela administração Amorim”, acusa a Comissão.

“As paragens setoriais realizadas em ambas as refinarias, em simultâneo, levaram ao esvaziamento de mão-de-obra qualificada das empresas do setor que não estão preparadas com meios humanos e técnicos para dar uma resposta adequada às necessidades e exigências que se colocaram”, salientou a Comissão Central de Trabalhadores da Petrogal.

A organização revelou ainda que pediu uma reunião à empresária Paula Amorim, mas ainda não obteve resposta da administração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *