Évora: Câmara quer ampliar parques industriais

parqueindustrial-evora

A Câmara de Évora está a equacionar avançar com a ampliação dos parques industriais da cidade, devido à sua quase lotação e à “procura significativa” de terrenos por potenciais investidores, revelou hoje o presidente do município.

O presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá disse que no Parque da Indústria Aeronáutica de Évora, onde se situam as fábricas da construtora brasileira Embraer e outras unidades industriais, “os terrenos estão praticamente esgotados”.

“Estamos a falar daquelas [empresas] que já se estão a instalar e das intenções de investimento que temos, o que perspetiva a necessidade de encontrarmos novos terrenos para podermos aceitar as empresas que pretendam investir”, realçou.

O presidente do município notou que “o mesmo acontece” no Parque Industrial e Tecnológico de Évora (PITE), indicando que “tem vindo a crescer o número de empresas que têm procurado a câmara para se instalarem”.

Segundo Carlos Pinto de Sá, a câmara municipal procura “novos terrenos que permitam ampliar o parque”, porque “os lotes disponíveis são de pequena dimensão e não são suficientes para satisfazer a procura de médias e grandes empresas”.

“Há situações em que conseguimos dirigir os investidores para outras zonas”, como o caso de uma nova fábrica de descasque de amêndoa, que “esteve apontada para Évora e que conseguimos que ficasse localizada no Núcleo Industrial de Azaruja”, referiu.

Pinto de Sá assinalou que o financiamento da ampliação dos parques industriais “é um dos problemas que está em cima da mesa”, porque os fundos comunitários para estas áreas “não são muito significativos e têm até algumas limitações”.

“Temos procurado como é que havemos de resolver o assunto, mas temos de encontrar soluções porque não queremos que haja empresas que não fiquem em Évora por falta de terrenos infraestruturados”, acrescentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *