GNR de Santiago do Cacém identificou 16 zonas de risco de incêndio na região (c/áudio)

Foi adiado o prazo para a aplicação de multas relativas à limpeza de terrenos e , a partir do final do mês de março, a GNR vai prosseguir a sua ação pedagógica.

Entre 1 de janeiro e 15 de março, a Guarda Nacional Republicana de Santiago do Cacém realizou 149 ações de patrulhamento e identificou 16 zonas de risco de incêndio na região, explicou à Miróbriga o 1º sargento José Fortuna

Neste momento, a GNR continua a realizar patrulhamentos diários, com vista à identificação de zonas de risco de incêndio. Para quem não cumprir, a lei prevê a aplicação de coimas mas ao contrário do anunciado, o primeiro-ministro, António Costa veio dizer que não serão aplicadas coimas aos proprietários de terrenos até ao próximo mês de junho.

Recorde-se que, a partir dessa data, em caso de incumprimento, o auto é instruído pela GNR que por sua vez dará conhecimento à Câmara Municipal que ficará encarregue de notificar o infrator para proceder à realização dos trabalhos. Caso não o faça, a autarquia executa a limpeza e cobrará, posteriormente, as custas pela realização dos trabalhos.

De acordo com José Fortuna, apesar da data prevista para o início da fiscalização à limpeza dos terrenos (2 de abril), os militares vão manter as ações de sensibilização em sala, em escolas e à população em geral.

O destacamento da GNR de Santiago do Cacém participa nesta ação com o objetivo de garantir a proteção de pessoas e bens.

Ouvir Aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *