Grândola aprova Orçamento de 28,6 milhões de euros para 2019 (c/áudio)

A Câmara de Grândola aprovado esta semana o Orçamento para 2019 no valor de 28,6 milhões de euros, representando uma subida de 2,2 milhões de euros em relação ao orçamento deste ano.

De acordo com António Figueira Mendes, presidente da Câmara de Grândola, este aumento resulta de uma gestão rigorosa e de um aumento das receitas.

 

O orçamento direciona “mais de 10 milhões de euros” para “a realização de investimentos estruturantes” sobretudo, no centro da vila de Grândola, com “a recuperação de um conjunto de equipamentos culturais”, como a Biblioteca Municipal, o edifício Frayões Metello, os antigos Paços do Concelho, a Igreja de São Pedro e a avenida principal da sede de concelho.

 

Das ações e intervenções previstas nas Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2019 destaca-se a construção de infraestruturas na Zona Industrial Ligeira de Grândola, “para dar resposta ao tecido empresarial local e regional” e “atrair grandes investimentos nacionais e estrangeiros” para o município do litoral alentejano.

De entre as prioridades do executivo, de maioria comunista, está o melhoramento e o reforço dos serviços públicos, com a conclusão da requalificação do Jardim 1º de Maio, assim como da rede viária municipal e dos caminhos vicinais.

Pretendemos reforçar os serviços de higiene e limpeza urbana, espaços verdes, recolha de resíduos, gabinete veterinário e proteção civil com meios humanos e materiais”, além da “melhoria das infraestruturas de água e saneamento em diversos locais do concelho” de Grândola.

Outra das áreas que o município pretende priorizar no próximo ano é o “reforço da coesão social” com “um novo equipamento para a juventude onde vamos integrar todas as atividades ligadas aos jovens” e no “apoio a programas de construção de habitações a custos controlados”, adiantou o autarca.

 

Em 2019, o executivo, liderado por António Figueira Mendes, quer “dinamizar iniciativas que apostam no combate ao insucesso escolar” e “concluir obras estruturantes”, como a Escola Básica n.º 1 e o Jardim de Infância de Grândola.

No âmbito do desenvolvimento da economia local e da criação de emprego, a autarquia anunciou que vai “reforçar o trabalho de promoção e valorização dos produtos endógenos” e avançar com “novos cursos de formação profissional na área da aeronáutica e turismo”.

O executivo aprovou também a redução da taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) de 0,38 para 0,37% em 2019 tendo em conta “a estabilidade financeira e a gestão financeira rigorosa e equilibrada”.

A redução, adiantou António Figueira Mendes, vai representar “menos cem mil euros de receita que deixamos de aplicar em obra” a favor “das famílias que têm direito a uma pequena poupança” no IMI do próximo ano.

O orçamento foi aprovado por maioria, com as abstenções dos vereadores do Partido Socialista e do Movimento Grândola Melhor.

As Grandes Opções do Plano e o Orçamento para 2019 vão ser discutidos e votados na próxima reunião da Assembleia Municipal de Grândola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *