Grândola: Orquestra dirigida pelo maestro Rui Massena dá hoje concerto de abril

selo25Abril2014A vila de Grândola recebe, esta noite, um concerto integrado nas comemorações oficiais dos 40 anos da Revolução dos Cravos, que junta cerca de 130 músicos dirigidos pelo maestro Rui Massena.

 

Rita Paulo

 

Em palco vão estar um coro de 60 vozes e uma orquestra de 60 músicos, militares e civis, bem como 10 cantores solistas, todos com menos de 40 anos de idade, explicou hoje à agência Lusa Rui Massena.

“Vêm músicos das Forças Armadas, num ato simbólico da revolução feita pelos militares, e depois a consolidação da democracia, que é feita por todos nós, pelos civis”, comentou o maestro, a quem cabe a condução do projeto, por convite do Governo.

De acordo com Rui Massena, “houve uma preocupação muito grande” de montar um espetáculo que refletisse “o antes, o durante e o depois” do 25 de Abril de 1974, motivo pelo qual as canções que se irão ouvir traçam “um retrato quase sociológico” do país ao longo de mais de quatro décadas de história.

A par do recente “Sexta-feira (Emprego bom já)”, do rapper Boss AC, irá também cantar-se “Liberdade”, um tema de 1974 de Sérgio Godinho, com preocupações semelhantes em termos de crítica social, adiantou o maestro.

“Amor” dos Heróis do Mar, “Foi por ela” de Fausto, “Grândola, vila morena” de José Afonso, “FMI” de José Mário Branco, “Suite alentejana” de Luís de Freitas Branco, “Acordai” de Fernando Lopes-Graça e “Staccato brilhante” de Joly Braga Santos são outras das propostas deste espetáculo.

“E depois do adeus” de Paulo de Carvalho e “Portugal, Portugal” de Jorge Palma serão interpretadas pelos filhos destes artistas, respetivamente, Agir e Vicente Palma.

Carlão, Diogo Valente (D8), Inês Soares, Marta Ren, João Pedro Almendra, Pedro Quaresma, Raquel Tavares e RPM completam o naipe de solistas que emprestarão a sua voz aos temas selecionados por Rui Massena.

“Fico muito contente de estar presente com tanta juventude, com tanto simbolismo, numa altura importante para Portugal, em que passamos por uma crise de identidade, de austeridade, em que as finanças estão acima de tudo e em que nós, pessoas da sociedade, temos de nos manifestar. E nada melhor do que a música para o fazer de uma forma construtiva”, frisou o maestro.

O espetáculo terá lugar no Parque de Feiras e Exposições de Grândola e está agendado para as 22:15 de quinta-feira, com transmissão em direto pela RTP.

Segundo a Câmara Municipal de Grândola, que organiza o evento em conjunto com a estação pública de televisão, o concerto termina às 00:20, com um espetáculo de fogo-de-artifício, seguindo-se as atuações da banda local Danger Line e de DJ Josef.