Igreja Matriz de Santiago do Cacém reabriu ao público

A Igreja Matriz de Santiago do Cacém, reabriu no passado mês de julho, depois de dois anos encerrada ao público.

Classificada como Monumento Nacional, a Igreja voltou a abrir as suas portas, de terça a sábado, com o apoio do município de Santiago do Cacém que vai assegurar as despesas de uma funcionária, adiantou o padre Paulo do Carmo.

“Já reabriu há um mês e esta funcionária que está na Igreja Matriz deve-se à excelente colaboração do executivo da Câmara de Santiago do Cacém que irá assegurar as suas despesas. Estamos a conseguir colocar a Igreja aberta às pessoas, em primeiro lugar, aos crentes, para que não se cinjam a ir à Igreja Matriz quando está aberta ao culto duas vezes por mês mas também para os turistas que nos visitam”, adiantou.

De acordo com o pároco, a reabertura do espaço religioso, “vai ser o ponto de partida para a criação de um roteiro turístico”, que vai ligar a Igreja Matriz à Igreja da Misericórdia e à Capela das Almas.

“Queremos a partir daqui fazer um roteiro onde iremos inserir a Igreja da Misericórdia, fruto de um projeto que está a ser construído por 35 voluntários que pretende não só reabrir a Igreja da Misericórdia como colmatar os dias em que a Igreja Matriz está encerrada, ou seja ao domingo e segunda-feira”, acrescentou.

Considerada um dos ex-líbris de Santiago do Cacém, a Igreja Matriz, localizada junto ao castelo, acolhe ainda o Museu de Arte Sacra, cujo espólio integra a peça ‘Santo Lenho’, pedaço da Cruz de Cristo que, segundo a tradição, foi oferecida pela princesa bizantina D. Vetácia Lascaris.

De acordo com o padre Paulo do Carmo, o museu vai permanecer fechado ao público porque é necessário reestruturar a sua organização.

“Terá de ser a Paróquia a assegurar a reabertura mas antes de abrir o museu temos de reestruturar a sua organização, criar uma comissão de gestão e fazer o inventário das peças, algumas terão de ser devolvidas aos seus proprietários se assim o entenderem, outras continuar a ceder as excelentes obras de arte mas penso que mais um tempo e estarão criadas as condições para reabrir o Museu de Arte Sacra que é um dos melhores da Diocese de Beja”, concluiu.

Desde a sua reabertura, a Igreja Matriz já recebeu 1.200 visitantes, a maioria turistas estrangeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *