Litoral Alentejano: Instituições assinam protocolo para criação da Rede Integrada de Resposta à Violência Doméstica

MSC_2686

Foi assinado no dia 13 de junho, na Câmara Municipal de Santiago do Cacém, o protocolo de cooperação entre as entidades parceiras e as estruturas de parceria das Redes Sociais de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira com a finalidade de criar a Rede Integrada de Resposta à Violência Doméstica no Alentejo Litoral e que reúne 24 entidades.

O protocolo tem como principais objetivos a definição de mecanismos de trabalho articulado entre as entidades parceiras envolvidas quer ao nível da prevenção primária, quer ao nível do diagnóstico e aprofundamento do conhecimento do fenómeno da violência doméstica; a criação de um guia de recursos para a intervenção com vítimas e agressores; a promoção da melhoria do trabalho de proximidade com vítimas e agressores, através de uma maior qualificação dos profissionais que acompanham os casos de violência doméstica; e contribuir para a sua diminuição.

Álvaro Beijinha, Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, frisou durante a sessão que com a assinatura do protocolo “estamos a dar um passo muito importante para apoio às vítimas e de combate a este fenómeno da violência doméstica, que infelizmente atinge muitas famílias. Um problema social nacional, a que a nossa região não é alheia.”

A violência doméstica é uma grave violação dos direitos humanos e uma questão de saúde pública, comprometendo o desenvolvimento da criança, da família, da comunidade e da sociedade em geral. O combate à violência doméstica tem vindo a assumir-se como um dos objetivos nucleares para que se alcance uma sociedade mais justa e igualitária.

A violência doméstica, por via da visibilidade crescente que se tem registado nas últimas décadas, transformou-se em Portugal num assumido problema social.

São subscritoras do protocolo: Os Municípios de Santiago do Cacém, Alcácer do Sal, Grândola e Sines, ADL − Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano, Associação Cabo-Verdiana de Sines e Santiago do Cacém, Associação Intervir. Com, as Comissões de Proteção de Crianças e Jovens de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira, Instituto de Segurança Social, I.P. – Centro Distrital de Setúbal, Instituto Politécnico de Setúbal, Juntas de Freguesia de Alvalade, Cercal do Alentejo, Santo André e União das Freguesias de Santiago do Cacém, Santa Cruz e S. Bartolomeu da Serra, MUSA − Mulheres Unidas Socialmente Ativas da CPLP de Sines, Santa Casa da Misericórdia de Sines, Taipa – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado do Concelho de Odemira, UMAR − União de Mulheres Alternativa e Resposta, e USLA − Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano, EPE.

Fonte:CMSC