Meios de combate a incêndios reforçados a partir de hoje

Os meios de combate a incêndios vão ser reforçados a partir hoje, passando a estar no terreno 8.187 operacionais, apoiados por 1.879 viaturas e 40 meios aéreos, segundo a Diretiva Operacional Nacional (DON).

DON, que estabelece o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para este ano, indica que os meios são reforçados hoje pela segunda vez com a entrada em vigor do agora denominada “reforçado — nível III”, que termina a 30 de junho.

Durante o próximo mês, vão estar operacionais 8.187 elementos e 1.879 veículos dos vários agentes presentes no terreno, além de 40 meios aéreos, que aumentam para 48 a partir de 15 de junho.

Estes meios aéreos são os que estão previstos na DON, que inclui os três helicópteros Kamov, que entretanto ficaram inoperacionais.

Integram o dispositivo elementos dos bombeiros voluntários, da Força Especial de Bombeiros, do Grupo de Intervenção Proteção e Socorro e do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da GNR, além dos sapadores florestais.

A partir de hoje, as corporações de bombeiros voluntários vão ter mais 79 Equipas de Intervenção Permanente (EIP), constituídas por cinco elementos que estão em permanência nos quartéis de bombeiros para ocorrer a qualquer situação de urgência e emergência registada no concelho.

Com estas novas EIP, os bombeiros voluntários passam a ter 262 Equipas de Intervenção Permanente, compostas por 1.324 elementos profissionais.

Este ano, as fases de combate a incêndios foram substituídas por níveis de prontidão, passando o dispositivo a estar permanente ao longo do ano e reforçado entre 15 de maio e 31 de outubro.

De acordo com a DON, o maior reforço de meios acontece nos meses de junho e outubro, quando se registaram os maiores incêndios de 2017 que provocaram 115 mortos, mas continua a ser entre julho e setembro, conhecida pela fase mais crítica de incêndios, o período que mobiliza o maior dispositivo.

Este ano, junho vai contar com mais 1.580 operacionais, 365 viaturas e oito meios aéreos do que o mesmo mês de 2017.

Também hoje começa a funcionar o novo sistema de alerta por mensagem de telemóvel em caso de emergência e destina-se a informar as populações quando é declarado pela Proteção Civil o nível vermelho.

Este SMS é enviado pelos operadores de comunicações móveis nas situações em que é declarado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) o Estado de Alerta Especial de Nível Vermelho.

O SMS será uma informação de caráter preventivo e é enviado para os distritos onde está declarado o alerta, ou seja, para as pessoas que se encontram nesses distritos no momento em que foi decretado o nível vermelho.

A mensagem será também enviada para emigrantes e cidadãos estrangeiros que se encontram nesses distritos, em inglês e português, e incluirá um número de apoio da ANPC para esclarecimento de dúvidas.

Fonte: Lusa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *