Misericórdia de Sines garante teleassistência por mais um ano a idosos do concelho (c/áudio)

Os quinze utentes da Santa Casa da Misericórdia de Sines, com idades entre os 58 e os 98 anos, que desde março de 2016 beneficiam do Serviço de Teleassistência vão poder continuar a usufruir do sistema em suas casas, graças a uma parceria que a instituição estabeleceu com a Rede Energética Nacional (REN).

A assistente social, Nádia Cruz, responsável pelo projeto na Misericórdia de Sines, já explicou à Miróbriga que a instituição conseguiu junto da REN firmar uma nova parceria e, com isto, garantir o pagamento mensal do callcenter até setembro de 2018.

 

A central de atendimento funciona em permanência, 365 dias por ano, e, não precisa da existência de um telefone ao alcance da mão. Com operadores especialmente treinados para o efeito, os utentes primem um botão num controlo remoto, (que pode ser usado no pulso como um relógio ou colocado como um pendente) e rapidamente são contactados por um ‘call center’.

Este sistema está ligado a um intercomunicador fixo que cobre uma área de 200m2 e é compatível com todas as redes telefónicas do mercado. No último ano, de acordo com os dados da Misericórdia de Sines, foram evitadas muitas incidências entre elas crimes de violência doméstica.

 

Numa primeira fase, a Misericórdia de Sines adquiriu quinze destes equipamentos mas tem intenção de alargar este apoio a mais idosos.

 

Para Margarida Ferreirinha, diretora de comunicação e sustentabilidade da REN, o projeto da Misericórdia de Sines “faz diferença para a população, nomeadamente dos mais idosos, de Sines”. “Temos uma política de proximidade nas comunidades locais onde estamos inseridos e a REN tem, em Sines, uma parte muito significativa da sua atividade”, salienta.

Os quinze idosos que beneficiam deste serviço – 13 mulheres e 2 homens residentes na área urbana do concelho de Sines – são utentes do serviço de apoio domiciliário e do centro de dia da Misericórdia de Sines.

Tratam-se de idosos que vivem sozinhos ou isolados, com carências económicas e, de acordo com a Misericórdia de Sines, o serviço de Teleassistência permite retardar a institucionalização destes utentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*