Odemira: Colóquio sobre o Passado, Presente e Futuro do Rio Mira em Vila Nova de Milfontes

 

fei-turPensar e debater o passado, presente e futuro do Rio Mira é o objetivo do colóquio agendado para o dia 7 de junho, pelas 15.00 horas, em Vila Nova de Milfontes, no âmbito da Feira Nacional de Turismo Desportivo e de Natureza.

Serão apresentados os temas “O Rio Mira, eixo estruturante do território” (António Martins Quaresma, Historiador), “O Rio Mira – a gestão de um património a apostar no futuro” (João Paulo de Almeida Fernandes, Professor da Universidade de Évora) e “Turismo Náutico no Alentejo: estratégias para a sustentabilidade turística de territórios litorais” (Fernando Completo, Professor da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril).

Considerado um dos menos poluídos da Europa, o rio Mira atravessa todo o concelho de Odemira e desagua em Vila Nova de Milfontes, sendo possível a navegação desde a foz até à zona de Odemira. Todo o vale do rio Mira, entre Odemira e a foz, está integrado na área do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

A importância do rio Mira para o território reflete-se não só a nível ambiental, pela biodiversidade dos ecossistemas ribeirinhos, mas também económico. Antiga via de acesso e rota comercial entre Odemira e o mundo, o Mira continua a desempenhar importante papel a nível económico, agora do ponto de vista turístico: pelas suas praias do Farol, Franquia e Furnas (esta entre as “7 Praias Maravilhas de Portugal”), pelo turismo náutico e desportos aquáticos. É atualmente bastante procurado para treinos de alta competição de canoagem, sendo frequente ali encontrar seleções de diversos países do norte da Europa.

O rio Mira marca também a região a nível cultural, pela identidade que confere às gentes da região e pelo património que lhe é associado, onde se destacam vários moinhos de maré.

O colóquio decorrerá no Auditório do HS Lounge, a partir das 15.00 horas, no dia 7 de junho, com entradas livres.