‘Odemira recorda Amália’ Rodrigues com visitas guiadas e arte urbana

O município de Odemira vai homenagear a fadista Amália Rodrigues, este sábado, com visitas à casa de férias da fadista, pinturas murais e uma noite de fados, no Brejão.

‘Odemira recorda Amália’ é um “evento evocativo de homenagem à fadista” que construiu a sua casa de férias na localidade do Brejão, freguesia de São Teotónio, onde Amália Rodrigues “mantinha fortes laços de amizade com a população”, explica Deolinda Seno Luís, vereadora da Câmara de Odemira.

Esta iniciativa começou há cerca de três anos porque sempre que podia ter liberdade de palco, Amália Rodrigues, refugiava-se na sua casa de férias no Brejão e a sua presença não era inócua porque chamava a si pessoas da terra que privavam com ela e com quem passava longos períodos de tempo”, lembra a autarca.

A ligação da rainha do fado a esta localidade do litoral alentejano, que não tem assistência médica em permanência, levou Amália Rodrigues a deixar em testamento “parte dos seus bens” para a construção de um posto médico no Brejão.

Esse desejo, expresso em testamento, veio a concretizar-se e foi constituído o posto médico que está sediado nas instalações da Associação de Desenvolvimento Económico e Cultural do Brejão e os custos relativos à deslocação do médico, uma vez por mês, são pagos pela Câmara de Odemira”, adiantou.

A memória associada a Amália Rodrigues é recordada este sábado, numa iniciativa organizada pela Câmara de Odemira e a Fundação Amália Rodrigues, com visitas-guiadas à casa de férias da fadista, entre as 15:00 e as 17:00, seguindo-se uma missa campal, junto à residência.

Com esta iniciativa, que procura dar retorno à Amália pelo que ela deu aquela terra, permitimos que, uma vez por ano, as portas da casa de férias sejam abertas ao público e o regresso de quem privou com aquela casa”, explicou Deolinda Seno Luís.

No mesmo dia, às 18:30, serão inauguradas as pinturas murais dedicadas ao percurso artístico e de vida da fadista, da autoria do artista Ivo Santos (Smile), projetadas nas empenas de habitações, no Bairro Social do Brejão.

Este ano quisemos, através da street art, perpetuar a evolução histórica da sua carreira, com imagens de Amália, aos 20 anos, com uma guitarra portuguesa, com 40 anos, a contemplar o mar no canto da piscina na casa do Brejão e numa fase final da sua carreira onde surge de braços abertos e de microfone a cantar”, revelou.

A iniciativa ‘Odemira recorda Amália’ termina com uma noite de fados, no Centro Sociocultural do Brejão, a partir das 22:00, com a participação dos fadistas Joana Luz e Hélder Moutinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *