Porto de Sines à espera de gás natural norte-americano

porto de sines_terminalcontentoresO secretário de Estado da Energia, Artur Trindade, revelou ao semanário Expresso que o mercado ibérico vai ter acesso a gás norte-americano a um preço bastante inferior ao do gás natural africano ou russo. Será o porto de Sines a receber o novo gás.

Portugal “está em condições de poder receber gás norte-americano através do terminal portuário de Sines”, revelou ao Expresso Artur Trindade, secretário de Estado da Energia, adiantando que se trata de gás “muito mais barato que o gás natural de origem africana ou russa”.

Sines será o porto de entrada do novo gás, o qual, segundo o secretário de Estado, servirá também para reduzir a dependência ibérica e europeia face aos produtores tradicionais. Saliente-se que, como explica o mesmo jornal, são empresas energéticas russas que controlam boa parte dos fornecedores de gás que abastecem a Europa.

Numa altura em que as tensões entre a União Europeia – e os próprios Estados Unidos – e a Rússia ainda se fazem sentir, fruto do conflito que decorre na Ucrânia, este fornecimento norte-americano será uma forma de diversificar fornecedores.

Ao contrário do que se verifica no mercado do crude, que se encontra globalizado, o mercado do gás apresenta diferenças substanciais de preços, em função da geografia. Os países asiáticos, por exemplo, pagam o gás a um preço seis vezes mais elevado do que se paga nos Estados Unidos, onde o baixo custo do gás de xisto tem vindo a pressionar a queda dos preços.