Porto de Sines diz ter tomado medidas para minimizar impacto de derrame

A Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS) assegurou hoje ter tomado medidas “imediatas” para “minimizar quaisquer impactes ambientais” do “pequeno derrame” de crude em Sines.

Numa nota enviada à agência Lusa, a APS adianta que o porto de Sines “mantém todas as condições operacionais”, pelo que “este incidente não afetou o seu normal funcionamento”.

O “pequeno derrame” de crude leve ocorreu hoje no posto 2 do terminal de granéis líquidos do porto alentejano e está a ser investigado pela Polícia Marítima.

Na nota, a administração portuária explica que, “no início da operação de descarga do navio ‘Montestena’, detetou-se uma pequena perda de contenção de ‘light crude’ na ligação de um dos braços de carga” ao petroleiro.

“A operação foi de imediato interrompida e a perda contida”, refere a APS, frisando que “a maior parte do produto ficou contido no convés, tendo sido imediatamente colocadas barreiras de contenção em redor do navio para minimizar quaisquer impactes ambientais”.

Indicando que está a proceder a trabalhos com o objetivo de “restabelecer a normalidade”, a APS adianta que está também a ser “investigada a causa da ocorrência” e “em avaliação a retoma da operação pelos dois braços adjacentes que não apresentam qualquer limitação”.

O capitão do porto de Sines, Sá Coutinho, disse à Lusa que o derrame ocorreu no interior da área portuária, no início de manobras de trasfega, e que foi “perfeitamente contido” pela APS, que vai proceder às operações de limpeza.

“A Policia Marítima já está a fazer diligências no local e a recolher amostras para efeitos de procedimento de investigação do ocorrido”, adiantou o comandante Sá Coutinho.

Fonte: Lusa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *