Presidente da Câmara de Grândola congratula-se com investimento da Vanguard Properties (c/áudio)

O presidente da Câmara Municipal de Grândola, António Figueira Mendes diz que o investimento da empresa Vanguard Properties, na aldeia da Muda, representa o culminar de um processo negocial com mais de sete anos.

O grupo de investimento imobiliário Vanguard Properties lançou, a semana passada, a primeira pedra de um investimento de 200 milhões de euros na aldeia da Muda, em Grândola, um projeto imobiliário que promete atrair clientes nacionais e estrangeiros.

O projeto da Vanguard Properties, uma empresa liderada por um investidor suíço, prevê a construção de 200 moradias de diferentes tipologias, com áreas de serviço, comércio e desportivas, junto à aldeia da Muda.

Em declarações à Miróbriga, o autarca realça que se trata de um investimento no interior do concelho.

 

O autarca, que defende a coesão no que diz respeito ao desenvolvimento económico do território adianta que a aldeia da Muda vai ficar inserida no empreendimento sem perder a sua raiz tradicional.

 

No centro da aldeia, o projeto integra um conjunto de cerca de 50 unidades geminadas, designadas por Casas da Aldeia, com tipologias T0 e T3 e áreas entre 60 e 200 metros quadrados, com jardim e piscina.

Os recentes investimentos anunciados para o município de Grândola – Lauak e Vanguard Properties -, são ao mesmo tempo motivo de preocupação para Figueira Mendes que reconhece a falta de mão de obra qualificada no concelho.

Uma questão que será abordada, esta segunda-feira, numa reunião com os responsáveis do Instituto de Emprego e Formação Profissional com vista à “instalação de uma empresa de formação profissional” em Grândola.

 

Recorde-se que o projeto da Lauak Portugal, destinada ao fabrico de componentes para aviões, um investimento de 20 milhões de euros, vai criar mais 100 postos de trabalho qualificados.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*