Proíbida apanha de bivalves em diversas zonas da costa portuguesa

apanha de bivalvesA apanha de bivalves, para venda e consumo, está proibida em diversas zonas da Costa portuguesa devido à presença de toxinas marinhas causadoras de intoxicação diarreica, anunciou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com a informação do IPMA, disponibilizada na sua página online, está “interditada temporariamente a apanha e captura, com vista à comercialização e consumo” algumas espécies de bivalves devido à fitoplâncton produtor de toxinas marinhas ou de níveis de toxinas ou de contaminação microbiológica acima dos valores regulamentares”.

Segundo o instituto, foi imposta temporariamente a interdição de captura para todos os bivalves na Ria de Aveiro – RIAV3, e na Ria Formosa OLH2, OLH3 e FUZ1.

A interdição foi imposta ainda para no Litoral de Aveiro L3 e Ria de Aveiro RIAV2 para a amêijoa-branca e ameijoa-japonesa, respetivamente.

O Litoral de Viana do Castelo está também interditado à apanha de todas as espécies de bivalves, enquanto no Litoral de Matosinhos a interdição só se aplica ao mexilhão. Na Lagoa de Albufeira mantém-se proibida a apanha de berbigão e no Litoral de Setúbal – Sines está interdita a conquilha.

Por outro lado, já é possível capturar berbigão na Ria de Aveiro RIAV1 e amêijoa-boa em Tavira e Cacela (TAV2 e VT1), na Ria Formosa.