PS: Pedro do Carmo concorre à presidência da Federação do Baixo Alentejo

O presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS, Pedro do Carmo, é o único candidato à liderança daquela estrutura socialista, nas eleições de setembro, já que o seu adversário anunciado não conseguiu os proponentes necessários.

Francisco Canudo Sena, vereador da oposição socialista na Câmara de Moura, afirmou hoje à agência Lusa que “não foi possível” apresentar a sua candidatura, cujo prazo de entrega terminou na quinta-feira, porque, quando decidiu avançar, “a maioria dos proponentes já não estava disponível”.

“Os proponentes que estariam disponíveis para apoiar a candidatura já tinham apoiado a outra candidatura, pela simples razão de que o aparelho do partido ‘secou’ toda a possibilidade de qualquer outra candidatura surgir”, criticou.

Canudo Sena realçou que a sua candidatura “não arrancou tarde” e que foi “a outra” que começou “em tempo indevido”, advertindo que “não podem existir antecipadamente manobras para ‘secar’ no terreno a hipótese de outra candidatura chegar a bom porto”.

“Cerca de dois meses antes de a comissão organizadora do congresso ser nomeada, disseram que não havia mais nenhuma candidatura, levando a que os militantes que se encontravam disponíveis para participar ativamente na atividade interna do partido não o tivessem feito”, alegou.

Contactado pela Lusa, Pedro do Carmo negou esta versão e esclareceu que, quando foram marcadas as eleições para as federações, recebeu um documento de apoio, subscrito por dezenas de militantes, entre os quais os principais adversários das últimas eleições, nomeadamente Hélder Guerreiro e o deputado Luís Ameixa.

“Só mais tarde fiz o processo normalmente de recolha de assinaturas”, tendo conseguiu reunir “300 assinaturas”, acrescentou.

Um dos pontos principais da moção que Pedro do Carmo vai levar ao congresso federativo, marcado para 21 de setembro, passa por “recuperar o segundo deputado eleito pelo círculo de Beja”.

O dirigente socialista considerou “importante para a região e para o partido que o PS volte a ter dois deputados” no círculo eleitoral de Beja, o que “deixou de acontecer nas últimas eleições legislativas”.

O também presidente da Câmara de Ourique afirmou que pretende demonstrar à população “a forma como o distrito de Beja foi abandonado” pelo Governo PSD/CDS-PP e o “desligamento” de Carlos Moedas, que “não chegou a assumir funções” de deputado e que “nunca mais visitou o distrito”.

As eleições para a liderança da Federação do Baixo Alentejo do PS estão marcadas para 05 de setembro.

Fonte:Lusa