Requalificação em Milfontes é “um dos bons exemplos” do investimento no litoral – Ministro do Ambiente

O ministro do Ambiente classificou as obras de requalificação do litoral em Vila Nova de Milfontes “como um dos bons exemplos” dos 60 milhões de euros que estão a ser investidos no litoral português.

“Este é um projeto muito importante para o litoral alentejano e um exemplo dos investimentos que estão a ser feitos no litoral, utilizando quase sempre formas de engenharia natural na conservação da linha de costa”, disse esta segunda-feira o ministro João Pedro Matos Fernandes durante a inauguração das obras do Polis do litoral em Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira.

Segundo o governante, as intervenções ao abrigo do programa Polis do sudoeste alentejano “são uma valorização ambiental importante e, aos mesmo tempo, o seu reforço em face daquilo que se sabe ser o constante assalto que o mar vai fazendo a estes territórios”.

Na opinião do ministro, o país tem de se adaptar e saber viver com as evidências das alterações climáticas ao litoral português, “o território mais ameaçado da Europa”.

João Pedro Matos Fernandes salientou a importância da intervenção na costa alentejana, “não só na forma de preservar o meio ambiental, como o de ordenar o estacionamento, acabando com a anarquia que existia, sem, contudo, restringir a sua utilização”.

O ministro lembrou que as empreitadas de valorização e conservação do litoral, só foram possíveis porque o Governo retomou os programas Polis, suspendidos pelo anterior Governo PSD/CDS-PP.

O ministro lembrou que as empreitadas de valorização e conservação do litoral, só foram possíveis porque o Governo retomou os programas Polis, suspendidos pelo anterior Governo PSD/CDS-PP.

“Este Governo conseguiu investir 7,5 milhões de euros em dois anos no Polis sudoeste alentejano, permitindo a conclusão de uma grande parte das obras previstas”, sublinhou.

Por seu turno, o presidente da Câmara de Odemira, José Alberto Guerreiro, considerou que as obras, “apesar de concluídas, estão inacabadas, porque é necessário agora dar continuidade ao POOC (Plano de Ordenamento da Orla Costeira)”.

“Urge concluir e fazer a revisão dos planos, e lançar igualmente a concessão dos apoios de praia, sob a responsabilidade da Agência Portuguesa do Ambiente (APA)”, frisou o autarca, acrescentando que “seria essencial ter na próxima época balnear outras condições de utilização das praias”.

A empreitada de proteção e de requalificação do litoral em Vila Nova de Milfontes, no valor de 4,9 milhões de euros, apenas pecou “por tardia”, frisou o autarca.

O investimento, feito no âmbito da sociedade Polis Litoral Sudoeste, inclui as empreitadas de valorização e qualificação da Praia do Malhão e de reforço do cordão dunar e alimentação artificial das praias da Franquia e das Furnas, através de transposição de sedimentos da foz do rio Mira, que totalizaram 2,5 milhões de euros.

Os restantes 2,4 milhões de euros foram investidos na revitalização dos núcleos histórico e ribeirinho de Vila Nova de Milfontes.

Na cerimónia de inauguração das obras em Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira, distrito de Beja, participou também a secretária de Estado do Ambiente, do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Célia Ramos.

Fonte: Lusa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *