Santiago do Cacém: Alvalade assinalou o 180º aniversário da passagem e estadia do rei D. Miguel I‏

 Isabel de Bragança e descendentes do Rei D. Miguel 1, com Rui Madeira, Presidente da Junta de Freguesia de Alvalade
Isabel de Bragança e descendentes do Rei D. Miguel 1, com Rui Madeira, Presidente da Junta de Freguesia de Alvalade

No passado sábado, dia 31 de Maio, a Casa do Povo de Alvalade Sado engalanou-se para assinalar o 180º aniversário da passagem e estadia do Rei D. Miguel I, deposto na sequência da guerra-civil de 1832/34, entre liberais e absolutistas. E se em 1834, Alvalade proporcionou ao Rei D. Miguel I uma estadia tranquila, acolhedora e garantindo que nada faltasse ao régio viajante e respectiva comitiva (para muitos terá sido a melhor recepção e acolhimento que teve ao longo do seu percurso entre Évora e Sines, onde embarcou para o exílio), 180 anos depois Alvalade honrou novamente os seus pergaminhos acolhendo calorosamente S.A.R. a Senhora Dona Isabel de Bragança, vários descendentes do Rei D. Miguel I, da Casa de Bragança e da família Lança Parreira, entre muitos outros convidados, para um programa que pretendeu assinalar a efeméride e que teve o seu epicentro na sede da Casa do Povo e no local onde existiu a residência da família Lança Parreira, em plena praça D. Manuel I.

O salão de festas da Casa do Povo, onde já se viveram muitos momentos altos da vida social e cultural de Alvalade, guarda agora mais uma página importante da História da freguesia. Naquelas paredes vão ecoar durante muitos anos as palavras simples e hospitaleiras dos anfitriões locais (presidentes da Casa do Povo e da Junta de Freguesia), mas também as duas comunicações/palestras brilhantes a cargo do Arqtº Francisco Lobo de Vasconcellos e do Doutor Manuel Braga da Cruz, sobre o percurso e estadia de D. Miguel I, a origem e as ligações familiares dos Lança Parreira e o enquadramento histórico e político do curto reinado de D. Miguel I e da sua vida no exílio.

No local onde esteve a residência da família Lança Parreira, que acolheu D. Miguel I no dia 31 de Maio de 1834, foi descerrado um painel evocativo da efeméride (na fotografia) assinalando e perpectuando a data das comemorações.

A presença de Isabel de Bragança conferiu um brilho muito particular às cerimónias, que pela sua simplicidade e simpatia ficará eternamente no coração e na memória dos alvaladenses. A iniciativa foi da responsabilidade da Casa do Povo de Alvalade Sado e contou com o apoio da Câmara Municipal de Santiago do Cacém e da Junta de Freguesia de Alvalade Sado.

FONTE: CASA DO POVO DE ALVALADE