Santiago do Cacém: Festival Gastronómico promove produtos da Lagoa de Santo André

 

santo andre_festivalgastronomico

A Lagoa de Santo André é o palco escolhido para a realização do 1º festival gastronómico que vai decorrer entre os dias 30, 31 de outubro e 1 de novembro.

Organizado pela Junta de Freguesia de Santo André, o evento procura dar a conhecer os sabores dos produtos gastronómicos locais e regionais com toda a sua diversidade e qualidade.

Durante três dias pratos como o choco frito, mão de vaca com grão, chanfana de pato com batata-doce, espetada de polvo com gambas, enguias fritas e massinha de tainha da Lagoa podem ser degustados nos cinco restaurantes aderentes.

Haverá ainda exposição e venda de doces, licores, frutas, pão caseiro e petiscos variados na Tenda Multiusos que será instalada para a ocasião, na costa de Santo André.

O festival arranca na próxima sexta-feira, às 12h00 com um moscatel de honra, seguindo-se a atuação da TUNASAS – Tuna da Academia Sénior de Artes e Saberes de Santo André e às 21h00 o Encontro de Acordeonistas.

No sábado, 31 de outubro, a animação arranca às 16h00 com a Orquestra Ligeira da Sociedade Recreativa Filarmónica União Artística de Santiago do Cacém, seguindo-se às 17h30 um espetáculo de Cante Alentejano com a participação d’As Vozes Além Tejo e às 21h00 Baile com o acordeonista Silvino Campos.

No domingo, 1 de novembro, pelas 16h00, atua a artista Maria Adélia Botelho acompanhada pelos Jovens Acordeonistas de Sant’Iago, às 18h00 é a vez da atuação dos alunos da Escola da Guitarra Portuguesa Mestre António Chainho, da Câmara de Santiago do Cacém.

A festa termina às 22h00 com uma sessão de fados com a participação de Joana Luz, Nani Nadais e Carla Chainho (nas vozes), Fernando Salema (saxofone), António Eduardo (viola), António Queiroz (viola-baixo), António Parreira e Manuel Domingos (guitarra).

O 1º festival gastronómico da Lagoa de Santo André resulta de uma candidatura efetuada pela Junta de Freguesia de Santo André a fundos comunitários e tem como objetivo valorizar o sítio piscatório da Lagoa de Santo André.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *