Santiago do Cacém: Oito escolas do agrupamento não abriram as portas

escolasE no dia do arranque do novo ano escolar oito escolas do 1º ciclo do Agrupamento de Santiago do Cacém não abriram as portas por falta de auxiliares de ação educativa.

A colocação destes profissionais, a cargo da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares, não foi acautelada e os pais e encarregados de educação foram surpreendidos, esta segunda-feira, com a falta de pessoal auxiliar nas escolas rurais de Abela, Arealão, Deixa-o-Resto, Santa Cruz, Aldeia de Chãos, Relvas Verdes, São Bartolomeu e Cruz de João Mendes.

Em causa está a redução do horário dos auxiliares nas escolas rurais, de 28 para 12 horas diárias, impedindo o normal funcionamento daqueles estabelecimentos de ensino, queixa-se Lénia Maria, uma das encarregadas de educação.

Ao todo são afetadas 129 crianças do 1º ciclo do ensino básico não se perspetivando a colocação de auxiliares de ação educativa.

Por isso, os encarregados de educação ponderam uma deslocação a Évora para levar as suas preocupações aos responsáveis.