Santiago mantém isenção da derrama para empresas com faturação inferior a 150 mil euros

A Câmara de Santiago do Cacém vai manter a isenção da taxa de derrama em 2019 para as empresas sediadas no concelho cuja faturação anual não ultrapasse os 150 mil euros.

A decisão da maioria comunista, que foi aprovada na reunião de câmara com a abstenção da coligação PSD/CDS-PP, é “uma medida de incentivo à economia local” e “uma das formas encontradas para ajudar as pequenas e microempresas”, justificou Álvaro Beijinha, presidente da Câmara de Santiago do Cacém.

Para as empresas cuja faturação ultrapassa este valor, a taxa do imposto municipal que incide sobre o lucro tributável às pessoas coletivas, vai fixar-se em 1,5 por cento, adiantou a autarquia em comunicado.

Para além disto, a autarquia tem disponibilizado terrenos às empresas que se queiram fixar nas áreas de localização empresariais no concelho, praticando preços muito abaixo do custo dessas infraestruturas o que tem contribuído para uma dinâmica empresarial e fixação de novas empresas”, acrescentou o autarca.

Recorde-se que a Câmara de Santiago do Cacém apresentou uma candidatura a fundos comunitários, na ordem dos 2,5 milhões de euros, para a requalificação da rede de parques empresariais existente no concelho “para combater as assimetrias”, recordou o autarca.

A decisão da câmara vai ainda ser sujeita à votação da Assembleia Municipal de Santiago do Cacém.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *