Sines: Boletim de Vacinas eletrónico arrancou no Centro de Saúde de Sines

Equipa de Enfermagem do Centro de Saúde de Sines colaborou no projeto-piloto

A equipa de enfermagem do Centro de Saúde de Sines participou, em 2016, no desenvolvimento do projeto-piloto do eVacinas. Uma plataforma informática que permite que se crie um registo nacional eletrónico que acaba com os boletins de vacina em papel e dá lugar aos boletins digitais.

A vantagem é que, como a informação fica disponível no sistema, o utente pode ser vacinado em qualquer centro de saúde, explica Ana Correia, enfermeira-chefe da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Sines.  

Ana Correia explica o que a nova plataforma traz de novo 

O e-Boletim de Vacinas, que está ser implementado em todo o país, contou com o contributo da equipa de enfermagem do Centro de Saúde de Sines, que desde abril de 2016, testou a aplicação e detetou as inconformidades.

Para aceder ao e-boletim de vacinas os utentes têm de efetuar um registo

Assim, à distância de um clique é possível receber um alerta da próxima vacina, solicitar uma segunda via do boletim ou aceder ao calendário vacinal.

A enfermeira chefe diz que quem se inscrever no portal do cidadão tem acesso ao calendário vacinal 

Numa primeira instância, foram abrangidos os 15 mil utentes do Centro de Saúde de Sines mas, desde dezembro, que o projeto foi alargado à Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano e aos seus 100 mil utentes.

Até ao final do todo o território nacional estará abrangido pelo boletim de vacinas digital

 

O trabalho realizado ao longo de sete meses já deu frutos e, por esta altura, segundo dados dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, já estão disponíveis mais de 39500 boletins de vacinas eletrónicos e número de utentes migrados com inscrição ativa nos centros de saúde já ultrapassa os 432 mil e oitocentos.

O projeto prevê ainda abranger não só os cuidados primários mas também hospitais, farmácias e outros setores privados. Numa terceira fase, vai abranger os centros de vacinação internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *