Sines: Centro de artes recebe colóquio

Centro de Artes de Sines (1)O Centro de Artes de Sines, recebe esta terça-feira (dia 29 de abril), o colóquio “A Herança de D. Frei Manuel do Cenáculo, 200 Anos Depois: Perspetivas de Futuro”. É uma organização em parceria com o Museu Nacional de Arqueologia e o Instituto de História de Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

 

D. Frei Manuel do Cenáculo foi uma das figuras mais brilhantes do Iluminismo português. Do seu dinamismo nasceram instituições como a Biblioteca Pública de Évora e coleções de arte e arqueologia que estiveram na base dos museus de Beja e Évora. Escavou sítios arqueológicos e é abundante a sua produção literária. É de grande atualidade a sua perspetiva sobre a educação, apoiada no saber acumulado nas bibliotecas e nos objetos científicos, históricos ou artísticos a elas associados, como complemento prático do saber teórico.

A sessão de abertura do colóquio terá a presença de Nuno Mascarenhas, presidente da Câmara Municipal de Sines, Ana Paula Amendoeira, Diretora Regional de Cultura do Alentejo, Vítor Serrão, presidente do Instituto de História de Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, e José António Falcão, diretor do Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja.

O colóquio conta com oito intervenções científicas. Estarão presentes Zélia Pereira, diretora da Biblioteca Pública de Beja, António Carvalho, diretor do Museu Nacional de Arqueologia, Ricardo Estevam Pereira, responsável pelo Museu de Sines, e representantes da Biblioteca Nacional de Portugal, Museu de Évora, Estação Arqueológica de Troia, Estação Arqueológica de Miróbriga, Liga dos Amigos do Sítio de Miróbriga e Projeto Estela.

Esta iniciativa é apoiada pela Direção Regional de Cultura do Alentejo, Museu de Évora, Biblioteca Pública de Évora, Biblioteca Nacional de Portugal, Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja, Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Administração do Porto de Sines.