Sines: Nuno Mascarenhas (PS) quer apostar no turismo e reforçar votação

 

Nuno Mascarenhas, apresentou oficialmente a sua recandidatura à Câmara Municipal de Sines nas próximas eleições autárquicas.

Sob o lema “Com Sines no Coração”, o Partido Socialista parte para as próximas eleições autárquicas com as prioridades já definidas.

Queremos concluir as obras de proximidade que estavam no nosso programa eleitoral e, acima de tudo, apostar no turismo porque temos casos concretos de investimentos que vão avançar nos próximos meses, como a construção de um aparthotel e de um hotel e um grande investimento em Porto Covo que irá aumentar a oferta de camas no concelho de Sines”, revelou o candidato.

Durante o seu discurso, Nuno Mascarenhas, fez um balanço do mandato e recordou que o atual executivo encontrou uma câmara “com o maior endividamento per capita de todo o distrito de Setúbal” e lidou com “a austeridade” imposta pela Troika.

O município de Sines tinha aderido, em 2011 e 2013, a dois programas de reformulação de dividas com a obrigação de pagar, nos próximos anos, 15 milhões de euros. Estávamos limitados na nossa atuação, tínhamos de pagar os empréstimos, os fundos disponíveis não permitiam contrair novas despesas e estávamos impedidos de ter crédito junto da banca para lançamento de novos projetos”, exemplificou o candidato.

Quatro anos volvidos e o cabeça de lista do PS diz ter reduzido o endividamento da autarquia: “A divida era superior a 22 milhões de euros e neste momento é a mais baixa dos últimos doze anos”.

Para além de uma frota “obsoleta”, intervenções “por concluir”, zonas industriais “degradadas”, bairros “que não tinham intervenções há vários anos” e ruas “com passeios em terra batida”, o candidato do PS diz que foi “preciso planear a cidade e o concelho”.

“Em apenas quatro anos fizemos obras de proximidade (…) fomos fiéis ao principio de que as pessoas estão sempre em primeiro lugar (…) valorizamos as parcerias com as populações (…) e aprofundamos as relações com as juntas de freguesia”, enunciou.

Em Sines, o Partido Socialista tem “ambição para muito mais” e, por isso, quer dar continuidade ao “trabalho inacabado”. A economia e o emprego; a educação e formação; a juventude; o ambiente; a saúde e a segurança, são as áreas em que o cabeça de lista promete trabalhar, caso seja eleito para um segundo mandato.

Temos mais de uma dúzia de projetos a decorrer, que vão ter início em breve, como o mercado municipal, e por isso estabelecemos como prioridade a conclusão das obras que estavam no nosso programa eleitoral e que não foi possível concluir devido aos atrasos nos fundos”, acrescentou.

 

Em termos financeiros, Nuno Mascarenhas diz que estão reunidas as condições para “contrair empréstimos” e “fazer face a um conjunto de obras”.

No ano transato conseguimos atingir a maior taxa de execução do orçamento dos últimos doze anos, que foi superior a 75 por cento, e isso é um ponto de partida completamente diferente daquele que recebemos em 2013 quando tomamos posse”, lembrou o cabeça de lista que ambiciona “a maioria absoluta” e o voto dos eleitores nas próximas autárquicas.

A abstenção preocupa mas vamos trabalhar para que as pessoas percebam que é importante dar continuidade a este projeto. Só assim Sines pode voltar a ter um papel importante em toda a dinâmica não só económica e empresarial mas sobretudo turística, desportiva e cultural”, concluiu.

No concelho de Sines, o Partido Socialista recandidata José Luís Batalha, 55 anos, à Assembleia Municipal de Sines e Cláudio Rosa, 37 anos, à Assembleia de Freguesia de Porto Covo. Para a Assembleia de Freguesia de Sines, o PS apostou em Joaquim Serrão, 62 anos.

Vítor Cordeiro, é o mandatário financeiro e Ana Vilhena a mandatária da candidatura do Partido Socialista de Sines.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*