Sines: ‘Svitzer Portugal’ faz balanço positivo das operações no porto de Sines

 

Pertencente ao grupo AP Moller Maersk, a empresa Svitzer está a operar em Portugal, desde 2005, ano em que iniciou funções no porto de Lisboa. Está em Sines, desde 2013, onde já fez mais de cinco mil assistências.

Pertencente ao grupo AP Moller Maersk, a empresa Svitzer está a operar em Portugal, desde 2005, ano em que iniciou funções no porto de Lisboa. A empresa dedica-se a operações de rebocagem em portos, terminais portuários e operações de salvamento marítimo a nível mundial.

É uma das empresas líderes nesta área tendo o seu enfoque nos padrões de segurança e na formação das suas tripulações para o desempenho das operações. A Svitzer está presente em mais de 60 países a nível mundial, incluindo Portugal. 

Em 2013, deu o primeiro passo para a expansão com o início das operações no porto de Sines. 

No programa da CPSI, que pode ser ouvido no podcast da Miróbriga ouvir aqui entrevistámos Rui Cruz, administrador-executivo da Svitzer Portugal.

O crescimento acentuado do porto de Sines e o início das operações da Maersk nesta infraestrutura portuária foram os principais motivos da deslocação da Svitzer Portugal para Sines.

Rui Cruz diz que, à semelhança dos portos de Lisboa e Setúbal, em Sines, a empresa trabalha com uma licença portuária anual. 

A frota da empresa tem vindo a ser renovada nos últimos anos, tendo a Svitzer apostado na tecnologia e na potência dos rebocadores com que opera nos portos nacionais.

No porto de Sines, estão fixos dois rebocadores e uma tripulação de 12 pessoas

De acordo com o administrador, a empresa tem de ter em conta as especificidades de cada um dos portos onde opera, havendo características diferentes entre eles.

Desde 2013, a empresa já efetuou mais de 5 mil assistências, no porto de Sines, incluindo operações de segurança e salvamento. 

Atento ao crescimento previsto para o Terminal XXI e da PSA Sines, Rui Cruz antecipa já um plano de expansão da Svitzer com a introdução de um terceiro rebocador no porto de Sines.

“Há um plano de expansão da frota e estamos a preparar para introduzir um terceiro rebocador no porto de Sines entre o final e o início do próximo ano”, revelou Rui Cruz.

“Este ano contamos fazer um investimento de cerca de 2 milhões de euros no número de rebocadores que vamos trazer para Portugal”, adiantou.

O responsável faz um balanço muito positivo da operação em Sines

No entanto, o responsável não esconde a existência de constrangimentos burocrático em termos operacionais que gostaria de ver resolvido.

Para Rui Cruz, o papel da Comunidade Portuária de Sines é fundamental para o crescimento do porto de Sines e reconhece os desafios que se colocam à nova direção da CPSI para atrair novos projetos para o porto de Sines.

“A anterior direção fez um trabalho extraodrinário e o atual presidente tem uma visão do porto de Sines muito dinâmica (…) que vai atrair novos projetos para o porto de Sines”, concluiu.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *