THE HILLIARD ENSEMBLE TERMINA 40 ANOS DE CARREIRA EM SANTIAGO DO CACÉM

The Hilliard Ensemble Photo: Marco BorggreveO terceiro concerto da 10.ª edição do festival de música sacra do Baixo Alentejo prima por uma extraordinária versatilidade, demonstrada pelas quatro vozes masculinas do ensemble inglês, com reportório transversal a seis séculos. 

 

No ano em que celebra o 40.º aniversário de The Hilliard Ensemble, este grupo inglês, considerado o mais notável do seu género ao nível internacional, despede-se de uma brilhantíssima carreira musical, a 26 de Abril, na igreja matriz de Santiago do Cacém, num concerto com início às 21h30. “Vozes que brotam do Céu” é o mote que ilustra o momento musical do ensemble composto pelas quatro vozes – David James (contratenor), Rogers Covey-Crump (tenor), Steven Harrold (tenor) e Gordon Jones (barítono) – que darão vida a obras que vão desde o Românico (século XI) ao Maneirismo (século XVI), ou seja, de Pérotin a William Cornysh.

Pensado especificamente para o Alentejo, região aberta, desde os inícios da nacionalidade, à influência dos países atlânticos, o programa contempla uma selecção de monodias e polifonias muito antigas, provindas de dois quadrantes geográficos essenciais da era medieval: o território franco e as não menos influentes Ilhas Britânicas, detentoras de uma tradição cultural muito forte. O concerto prossegue com um grupo de obras ilustrativas dos géneros musicais cultivados na catedral de Notre Dame, de Paris, centro religioso e artístico de primeira importância, a partir de finais do século XII.

A presença de The Hilliard Ensemble representa, indubitavelmente, um marco na história do Festival, correspondendo, em pleno, ao seu espírito: trazer repertórios inéditos ou pouco ouvidos entre nós, através de intérpretes de excepção, a alguns dos mais significativos monumentos religiosos do Alentejo, em termos acústicos e em termos patrimoniais. Note-se que a igreja matriz de Santiago do Cacém, que data do século XIV, oferece condições absolutamente excepcionais para a interpretação da música vocal. Tudo isto faz do presente concerto um momento mágico e irrepetível.

Na manhã do dia seguinte, a organização do Terras Sem Sombra convida quem se quiser juntar aos artistas e aos membros da comunidade local numa iniciativa de voluntariado para explorar e ajudar a defender o potencial ecoturístico do litoral português. O palco privilegiado será a Reserva Natural das Lagoas de Santo André e Sancha, uma área protegida com elevado potencial ecoturístico.

Perspectivar o papel do turismo ecológico na conservação da biodiversidade é o objectivo desta acção, com início marcado para as 10h30 e que culminará com a realização do Percurso do Salgueiral da Galiza, um bosque de salgueiros, de grande qualidade e raridade no contexto das zonas húmidas do Sul de Portugal, cuja valorização significa um verdadeiro repto para a região.

No que concerne à fauna, é manifesta a sua importância enquanto local tanto de nidificação e repouso de aves, como de abrigo e alimentação de mamíferos, sendo ainda importante para a reprodução de anfíbios. O percurso inclui um passadiço sobrelevado, com ca. 640 m de comprimento, dotado de estruturas de observação e informação.

 

The Hilliard Ensemble: findar uma carreira em plenitude

Com uma reputação sem igual, no campo tanto da música antiga como da contemporânea, The Hilliard Ensemble constitui uma referência impar para a música de câmara vocal. O seu estilo característico e a sua experimentada musicalidade aproximam do ouvinte quer os repertórios da Idade Média e do Renascimento, quer as obras escritas por compositores vivos.

ensemble de vozes masculinas deu o seu primeiro concerto em 1974, estando inicialmente direccionado para a música antiga. Porém, desde o princípio da existência que o grupo prestou a mesma atenção à música actual. A gravação de Passio, de Arvo Pärt, em 1988, iniciou uma relação muito fecunda com o autor e com a companhia ECM, de Munique, seguindo-se a gravação de Litany, também de Pärt. The Hilliard Ensemble fez encomendas a outros compositores dos países bálticos, entre eles Veljo Tormis e Erkki-Sven Tüür, associando-os ao seu repertório, a par de Gavin Bryars, Heinz Holliger, John Casken, James MacMillan, Elena Firsova e muitos outros.

Em Agosto de 2008, iniciou-se uma nova etapa da vida do ensemble, com a estreia, no Festival Internacional de Edimburgo, de um projecto de teatro musical escrito por Heiner Goebbels, numa produção do Théâtre Vidy, de Lausanne: I Went to the House but Did not Enter, sendo, seguidamente, apresentada em sucessivos palcos europeus e norte-americanos, culminando no Lincoln Center for Performing Arts, de Nova Iorque, em Novembro de 2012.

O ano de 2014 testemunha a celebração do 40.º aniversário de The Hilliard Ensemble, que começou, de forma espectacular, com um concerto muito especial em Londres, no qual o grupo actual se reuniu com quatro dos seus antigos elementos para interpretar um programa de que fazia parte uma encomenda a Roger Marsh. Na igreja matriz de Santiago do Cacém – referência do Festival Terras sem Sombra – assinala-se, com chave de ouro, o final de todo um ciclo de inexcedível valor artístico.