Trabalhadores da refinaria de Sines da Petrogal prolongam greve até final de fevereiro (c/áudio)

A greve por melhores condições de trabalho e contra a caducidade da contratação coletiva na refinaria de Sines da Petrogal vai continuar, assegurou hoje à rádio M24 o sindicalista Hélder Guerreiro após um plenário de trabalhadores que decidiu por unanimidade manter a paralisação até ao final de fevereiro.

Hélder Guerreiro disse que a greve vai prolongar-se até ao final do próximo mês com consequências para o funcionamento interno da refinaria de Sines.

A greve em Sines arrancou no início de janeiro e vai prolongar mais um mês

De acordo com o sindicalista, o prolongamento do período de greve tem como objetivo reforçar a luta dos trabalhadores e penalizar a empresa que “mantém uma posição irredutível e autista às reivindicações dos trabalhadores”, acusa.

Apesar da paralisação, o dirigente sindical garante que para já o abastecimento nas bombas de combustível não está posto em causa.

A greve foi convocada pelo Fiequimetal e pelo Sindicato da Industria e Comércio Petrolífero

Os trabalhadores da refinaria de Sines da Petrogal estão paralisados desde 2 de janeiro e no plenário, onde participaram cerca de 80 trabalhadores, foi decidido prolongar a paralisação até 28 de fevereiro.

A greve, que já contabiliza 23 dias, foi convocada pelo Sindicato da Industria e Comércio Petrolífero e pela Fiequimetal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *