Volta a Portugal em bicicleta regressa ao Litoral Alentejo depois de longa ausência (c/áudio)

A 80ª edição da Volta a Portugal em bicicleta regressa este ano ao Litoral Alentejano depois de uma ausência prolongada. O programa da prova foi apresentado, esta sexta-feira, em Lisboa e o repórter Paulo Ferreira aproveitou para conversar com o Presidente da Câmara de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha e o presidente do Conselho de Administração da Caixa de Crédito Agrícola da Costa Azul, Jorge Nunes.

Ambos marcaram presença no evento uma vez que o percurso da maior prova de ciclismo do país que vai arrancar em Alcácer do Sal, no próximo dia 2 de agosto, terá passagem pelo concelho de Santiago do Cacém. A última vez que os ciclistas passaram por cá foi em 2001.

Ouvir Aqui:

 

A primeira etapa terá o rio Sado por perto porque começa em Alcácer do Sal. Em jeito de despedida do Sado, a partida da 1a etapa em Alcácer do Sal recupera, após longa ausência, o litoral alentejano e o Algarve para a “Volta”.

Os 191,8 Km marcados orograficamente pelas travessias das Serras de Grândola e do Cercal serão percorridos, como acontece habitualmente no primeiro dia das grandes provas por etapas, com a típica tensão decorrente do processo de avaliação mútua entre os protagonistas a que se junta a irreverência daqueles que não sendo potenciais candidatos querem aproveitar já as oportunidades.

Apesar de tudo, no final, a Av. dos Descobrimentos, em Albufeira, deverá assistir a uma chegada em pelotão compacto. Até Albufeira onde terminará esse dia serão percorridos 191,8 quilómetros sendo o regresso ao Algarve 10 anos depois da última passagem da Volta.

Do extremo sul do continente português, a prova passará na segunda etapa para o pleno Alentejo. Em Beja terá início a tirada mais longa desta edição que chega aos 195,3 quilómetros com Portalegre a receber o final de etapa.

No sábado, 4 de agosto, a 80a Volta a Portugal Santander faz uma homenagem solidária às populações atingidas pelos incêndios de 2017. Designada Etapa Vida a terceira tirada da prova terá 175,9 quilómetros e será discutida no percurso que vai começar na Sertã passando por Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pêra, Lousã, Góis, Arganil, Tábua e terminará em Oliveira do Hospital.

A Podium Events, entidade que organiza a Volta, juntou esforços para lembrar as vidas perdidas e as regiões desoladas, mas sobretudo para enaltecer a valentia dos que puseram mãos à obra com o objetivo único de reconstruir a vida.

Ao quinto dia de competição, a Montanha entra definitivamente no léxico desta Volta e a Serra da Estrela é a protagonista. Guarda vai aplaudir a partida do pelotão que terá pela frente a subida ao ponto mais alto do território continental. Depois de chegar e contornar a Torre, a corrida desce a alta velocidade para Manteigas, irá na direção da Covilhã e vai subir para as Penhas da Saúde onde vão terminar 171,4 difíceis e marcantes quilómetros.

Antes de fechar a primeira fase da Volta 2018 ainda será preciso percorrer mais um longo dia. A quinta etapa com 191,7 quilómetros vai ligar o Sabugal a Viseu. Logo depois da chegada começam as atividades relacionada com o Dia de Descanso.

Depois da jornada de repouso, a Volta a Portugal Santander está novamente em ação e para uma etapa de novidades. Com mais de 90 anos de história a prova ainda consegue descobrir locais onde nunca esteve. A sexta etapa vai estrear a vila de Sernancelhe, no Distrito de Viseu, como local de partida. Até Boticas, que nos últimos anos tem assistido a diversos inícios de etapa, haverá 165,4 quilómetros e, pela primeira vez, a vila transmontana vai acolher um final de tirada.

Montalegre vai estar na partida da sétima etapa. A vila do distrito de Vila Real assistirá ao início de um dia de transição com 165,5 quilómetros que vai levar a caravana até ao miradouro de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

No penúltimo dia de competição a região minhota estará plenamente representada na Volta. A oitava etapa vai começar em Barcelos e terminar em Braga passando uma primeira vez na reta da meta a faltarem 16 quilómetros para o final. Será a tirada em linha mais pequena desta edição com 147,6 quilómetros.

Com o aproximar do fim da Volta vai crescer a expectativa sobre quem poderá vencer este ano. O sábado começa com a nona etapa que vai com certeza contribuir para definir o vencedor ao sair de Felgueiras, como já não acontecia há nove anos, e terminar na sempre imponente e difícil Sra. da Graça em Mondim de Basto. Há três contagens de montanha de 1a categoria na parte final dos 155, 2 quilómetros.

Final inédito da Volta a Portugal em Fafe 

Para concluir a 80a Volta a Portugal Santander faltará no domingo, 12 de agosto, o contrarrelógio individual da décima etapa com 17,3 quilómetros que se vai realizar em Fafe. Presença assídua na competição, a “Sala de Visitas do Minho” estreia-se como Cidade do Grande Final da Volta 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *